quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

subterfúgio II

O que estamos fazendo neste mundo???
Qual o sentido da vida???
Por que o gosto de viver, às vezes não tem um doce sabor???
E por que de tantos por quês??? Por quê???
Como entender o que somos, 
Se sempre fugimos de nós mesmo...
Quando no menor conflito com o nosso ser
Nos distorce e nos deixa cada vez mais distante
Do que somos???
Assim como saber o que realmente somos???
Qual o motivo concreto de evadir-se de nós mesmo,
Aniquilando de pouco em pouco a razão
E expectativa de acreditar em nós mesmo,
Para de fato e de verdade 
Saber com toda convicção o que somos realmente???
O que importa  e o que vai importar???
A vida segue, e não é do jeito que queremos,
O que queremos parece ser impossível....
E assim a vida é um paradoxo insolúvel do nosso querer...
Quanto tempo ainda estaremos inertes???
Sem o tempo que passou
E com o tempo que virá... E o que trará???
O que passou é certo!!! E o agora...
O agora é pra viver e não pra fugir!!!
A fuga se deve a algo desagradável e temível,
E então, como convencer um fugitivo a voltar???
Sentimos a nossa falta, e não entendemos 
Porque mesmo assim continuamos a ser o que não somos...
Hoje estamos longe de nós
E de tudo o que um dia eramos....

Rikardo Barretto