terça-feira, 1 de novembro de 2011

filosofia noturna

A noite é amiga da minha solidão
Onde tenho a coragem de me ver tal qual sou
Às vezes me perco no meu pensar
Fugindo de mim
Olho para o céu e me perco ainda mais
Nas constelações...

Viajo mil anos luz para me encontrar...
E eu longe de mim
Sou como as estrelas que já não existem mais
Mas me encontro com o brilho
Que transpõe a imensidão do universo
E assim a noite é companheira e inspira canções
Já é parceira das minhas composições

A noite é o meu mundo
O universo pararelo do meu querer
Onde eu posso conviver comigo mesmo
No mais intimo momento

A noite é o meu reduto, O meu pavilhão
O casulo dos meus pensamentos
Onde eu não me anulo
Por ser um bom aluno
Aprendo com seu silencio
E no meu silencio
Encaro o que realmente sou sem mascaras

RIKARDO BARRETTO