quinta-feira, 3 de novembro de 2011

DIANTE DA VIDA

Diante da vida eu não falo palavras vazias
E nem mesmo escrevo no vazio
Enfatizo e externo os meus pensamentos
Porque acredito no meu brio
E tudo o que me cerca é matéria
Que eu posso transformar...
Posso diante da vida ser realista
Porém sou romântico em acreditar
No mundo onírico hoje me encontro
E com passos de fé caminhando vou
Rumo a concretização dos meus sonhos
Tenho por certo o que me motivou
E o que me motivou influência minha vida
De tal maneira a vivê-la intensamente
Mergulhando em um universo incognito para mim
E tudo passa a ser novidade gradativamente
Em sentido mais amplo e patente
É o prelúdio da eternidade
E no sentido mais restrito é tudo que falo
E como falo é consernente a minha identidade

RIKARDO BARRETTO