quarta-feira, 28 de março de 2012

ESTRELAS DO MAR/CÉU

Arar o universo
Semear estrelas
Sonhar constelações
Despido no meu averso
Amá-las e entretê-las 
Com poemas e canções
Coexistir com o infinito
Do exílio resignado
Neste mar/céu rasgado
Há mistério ínclito 

Olhar profuso de céu
Mar de vago desejo
Rebuscando novo alento
Céu de leite, mar de mel
Deleite evidente, oportuno ensejo
De aluando pensamento
Flores arrancadas da imensidão
No lume fugido e prisioneiro
Não sei se é factício ou verdadeiro
Na minha sempre divagação 

Riokardo Barretto